Container

Rádio Cultura Riograndina

Endereço: General Osório - Edifício Câmara do Comércio - , 430/Sala 204 - Centro - rio grande - RS - CEP 96.200-400

Telefone: (53) 3232-2303 - Celular: (53) 99164-7867 -

Pelotas

Endereço: - - RS

Telefone: (53) 9165-9164

São José do Norte

Endereço: - - RS

Telefone: (53) 3238-1100

Rio Grande, 20 de Setembro de 2018

Rádio Cultura Riograndina - Rio Grande, Rs.

Está no ar

Plataforma Portais Eletrônicos

Identifique-se

Painel de Controle

Mala Direta

Artigos

Violência contra mulher atinge índices alarmantes em Rio Grande

Publicado 04/04/2018

O mês voltado ao combate à violência contra a mulher apresenta dados alarmantes. Só neste ano, são quase 300 casos notificados, sem contar as pessoas que não chegam ao efetivo registro.
 
Na tarde desta quarta-feira, 28, um importante encontro marcou a discussão do tema, no miniauditório do IFRS. Proposto pela Secretaria de Saúde, o evento integrou pessoas de vários segmentos e contou com a presença da Coordenadora Regional das Equidades em Saúde, Djeniffer Coradini, que abriu o evento com o tema violência contra mulher. “Um encontro importante na luta das mulheres pelo fim da violência e igualdade de gênero”, explicou.
 
A Coordenadora Municipal de Saúde da População Negra, Eliane Menezes Costa, comenta que o evento tem como objetivo repensar as ações no combate à violência contra a mulher. “Os casos podem ser notificados nas Unidades de Saúde e ainda temos um Núcleo de Violência contra a mulher, que atua com sigilo total e com todo o apoio necessário para tratamento psicológico, ou mesmo, dar sequência aos procedimentos jurídicos de proteção”, informa a coordenadora.
 
Em um segundo momento, a Coordenadora do Núcleo de Violências Epidemiológicas, Isabel Sá, apresentou dados sobre os atendimentos e também o perfil das vítimas e agressores. “Ainda temos um percentual maior para violências de mulheres brancas, solteiras, mas que depois vemos que mantém um relacionamento de união estável, e o agressor é o ex-cônjuge”, explica Isabel. “Muitos casos levam ao desespero maior, chegando ao suicídio”, finaliza.
 
Além da Delegacia da Mulher, existem também órgãos do município que atendem as vítimas, como o CAPS. Infelizmente a violência ainda tem como cenário o interior das residências, locais em que deveriam prevalecer o respeito e a harmonia.

Leia mais sobre: Artigos

Fonte: PrefeituraMunicipal

Compartilhe

Delicious Digg Google Bookmarks Mixx MySpace Reddit Sphinn StumbleUpon Technorati RSS

Enquete

Você concorda com o fim do auxílio-reclusão e a criação de um benefício para as vítimas dos crimes?

Resultado

Banner1 178x317

Banner7 178x88

Banner5 178x88

Topo 982x346

Banner3 178x88

Banner4 178x88

Banner2 178x88

Banner6 178x88